Autor: José Alfredo Schierholt


Autor: José Alfredo Schierholt
> Biografia
> Livros Publicados
Montagem: Orestes Josué Mallmann

sábado, 7 de julho de 2012


Primeiros funcionários da Rádio Independente

Extraímos do semanário A VOZ DO ALTO TAQUARI as principais notícias que ocorreram na região há mais de meio século:

* Firmou-se a Rádio Independente, fundada em 1-4-1951. O primeiro gerente foi Ney Santos Arruda, sucedendo-se: Carlos Pereira Marques, Norberto Scheer, Aray Mello Christ, Oscar Chaves Garcia, Oswaldo Carlos van Leeuwen, Lauro Matias Müller e seu filho Pedro, gerente atual, ocupando, simultaneamente, o cargo de diretor tesoureiro. Segundo entrevista dada à Voz do Alto Taquari, de 19-5-1955, os primeiros funcionários, locutores, repórteres foram: Ênio Rockenbach, Helmar Hugo, Carlos Alberto Rockenbach, Newton Vasques Pereira, Flávio Kollet, Erni Teixeira da Silva, Rudi Bender, Nelson Santi, Élio Sfair, Guido Breier, Jary Fluck, Rui Souza, Rui Godoy e Sérgio Lopes. Geny Rota Arruda foi a primeira guarda-livros, cargo depois ocupado por Carlos Becker Delwing. Por longos anos, o diretor técnico foi Donga Menezes (foto). 
* Criado pela Lei nº 2.551, de 18-2-1954, é instalado município de Roca Sales em 28-2-1955.
* Moacyr Andrade, antigo atleta do C. E. Lajeadense, como funcionário do Banco do Brasil, em 27-4-1955, retoma de Bento Gonçalves a Lajeado, para também continuar na direção de sua fábrica Ladrilhos Lajeado Ltda.
* Em 15-2-1955, João Rodrigues da Silva assumiu o comando do Destacamento da BM de Lajeado, vindo de Encantado.
* Dr. Walter Boeni, nascido em Marques de Souza, assumiu o Hospital de Conventos em 25-4-1955. Foi médico-cirurgião e clínico geral em Encantado, durante três anos, transferindo-se para Porto Alegre, de onde partiu para Palmeira das Missões, na década de 1940. Era nascido em Marques de Souza. Diplomou-se pela UFRGS, em 1933. Em 25-4-1955, assumiu o Hospital de Conventos.  Depois, mudou-se para Montenegro, onde participou das eleições municipais em 8-11-1959, pelo PSD, ficando como 1º suplente. Transferiu-se definitivamente para Porto Alegre, onde faleceu.

Pequenas Biografias

       Aloísio Lorscheider
Sacerdote franciscano, professor, arcebispo emérito e cardeal. 
Nasceu em 8-10-1924, na Picada Geraldo, em Estrela, com o nome Léo Arlindo Lorscheider, f. José Aloísio Lorscheider e Verônica Gerhardt. Com 10 anos de idade entrou no Seminário franciscano em Taquari, para estudar o curso ginasial e o clássico. Ao ingressar na Ordem dos Sacerdotes Menores, em Daltro Filho, em fevereiro de 1942 tomou o nome de Frei Aloísio. Concluídos os estudos filosóficos e teológicos, foi ordenado sacerdote em 22-10-1948, em Divinópolis, Minas Gerais. Retornou ao seminário de Taquari para ser professor, por poucos meses, pois foi convidado a fazer o doutorado em Teologia Dogmática em Roma, onde em 1952 defendeu tese, summa cum laude, intitulada De Sancti Spiritus relatione ad pecatores membra Ecclesiae.
De volta ao Brasil, tornou a lecionar em Taquari e, a partir de 1953, por seis anos, ocupou a cátedra de Teologia Dogmática em Divinópolis e sucessivamente os cargos de Comissário Provincial da Ordem, Conselheiro Provincial e Mestre dos Estudantes de Teologia e dos candidatos ao estado de Irmão Leigo Franciscano. Em 1958, foi chamado a Roma para lecionar Teologia Dogmática no Pontifício Ateneu Antoniano. Em 1959, desempenhou a função de Visitador Geral na Província Franciscana de Portugal. De regresso, ascendeu ao posto de Mestre dos padres franciscanos que fazem cursos em várias faculdades de Roma.
Nomeado bispo da recém-criada Diocese de Santo Ângelo, em 20-5-1962, foi sagrado bispo na Catedral Metropolitana de Porto Alegre por D. Vicente Scherer. Destacou-se no colégio episcopal, eleito secretário geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil - CNBB em 1968. Com 106 votos (62%), foi eleito sucessor de Dom Vicente Scherer, na presidência da CNBB, em 13-2-1971. Com mais veemência, denunciou as torturas praticadas pela ditadura brasileira. Foi reeleito várias vezes, até 1978. Em 1973, foi nomeado arcebispo de Fortaleza.
Elevado ao cardinalato em 1976, foi escolhido 1º vice-presidente, depois presidente do Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam), reunindo as 22 Conferências Episcopais da América Latina. Em 1995, foi nomeado Arcebispo de Aparecida – SP, de onde se despediu em março de 2004, para residir em Porto Alegre, na Casa Provincial  da Ordem de São Francisco de Assis, no Bairro Ipanema, onde faleceu em 23-12-2007.
Notabilizou-se pela coragem. No Vaticano, perdeu nomeações importantes por suas críticas construtivas a vários setores conservadores. Em 10-8-2005, foi homenageado pela Assembleia Legislativa do RS, no Grande Expediente, conforme proposição do deputado estadual Frei Sérgio Goergen.
 Primou pela simplicidade, razão pela qual quis ser sepultado no Cemitério de Daltro Filho. O Arcebispado de Aparecida já tentou, várias vezes, quebrar este desejo, batalhando pela transladação de seus restos mortais na sua Igreja Catedral.


Nenhum comentário:

Postar um comentário